URI/FW sedia 5º Fórum Itinerante do Leite

Nesta terça-feira, dia 21, o Salão de Atos da URI/FW foi local de debates sobre os Caminhos para a Exportação. A temática da 5ª edição do evento reuniu centenas de produtores rurais, acadêmicos dos cursos ligados a atividades do campo e profissionais da área. A programação do Fórum foi dividida em duas etapas, realizadas nos turnos da manhã e da tarde.



Painéis ao vivo:


A abertura do 5º Fórum Itinerante do Leite, contou com a fala da Professora Silvia Regina Canan, Diretora-Geral da URI, Câmpus de Frederico Westphalen. Ela destacou as ações da Universidade em prol do desenvolvimento das atividades rurais, feitas através do curso Superior de Tecnologia em Agropecuária, dos cursos de pós-graduações e dos Laboratórios que atendem as demandas dos produtores. Com ênfase para o Laboratório de Análises de Alimentos e Bebidas, que será visitado pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento em dezembro, para encaminhar a certificação definitiva.


Em seguida foram realizados dois painéis com transmissão ao vivo pelo Canal Rural. O primeiro tratou do Mercado Externo de Lácteos e Políticas Públicas, tendo como debatedores os seguintes senhores:  João Cesar de Resende, pesquisador da Embrapa Gado de Leite, André Petry, Secretário adjunto da Agricultura, Pecuária e Irrigação do Rio Grande do Sul, Airton Spies, Secretário Adjunto da agricultura e Pesca de Santa Catarina, Márcio Langer, assessor de Política Agrícola da Fetag/RS e Alexandre Guerra, presidente do Sindilat – RS.


O segundo painel teve como tema Os Desafios para Indústrias e Produtores, e contou como debatedores com os senhores Jaime Eduardo Ries, assistente técnico da Emater – RS, Herton Lima, supervisor do Senar – RS, Elio Pacheco, presidente da Cotrifred, Wlademir Dall’Bosco, presidente da Apil e Darlan Palharini, secretário-executivo do Sindilat – RS.


Os painéis, permitiram que o público presente participasse com perguntas e sugestões.




Oficinas técnicas:


À tarde, a programação do Fórum contou com a realização de três oficinas.  A primeira teve como tema a gestão e a sucessão na produção de leite, e contou com a apresentação e relato de famílias que têm a atividade leiteira como principal fonte de rende. Cerca de 700 pessoas acompanharam as apresentações no Salão de Atos, das 14h às 16h.


Já a segunda oficina foi realizada no Auditório do Câmpus e teve como tema a Nutrição da Vaca Leiteira: Saúde do animal e qualidade do leite. Cerca de 125 pessoas participaram da atividade.


E a terceira oficina foi sobre Os Caminhos para a Exportação. Realizada na sala 02 do Prédio 05, o encontro ofertou 50 vagas aos participantes.




Mulheres na lida:


A produção de leite é fruto do trabalho de 65 mil famílias no RS, de acordo com dados da Emater*. Em muitas, a responsabilidade pela atividade é das mulheres. E elas estão cada vez mais se inteirando de tudo que diz respeito à cadeia produtiva. Especialmente, sobre a comercialização.


Marcia de Fátima Gnoatto tem uma propriedade de 28 hectares na localidade de Alto Paraíso, interior de Pinhal – RS. A produção mensal de leite é de 17 mil litros ao mês, mas o objetivo dela é chegar aos 30 mil. E a renda gerada nem sempre é suficiente para cobrir os gastos com os animais.


Nós temos um custo muito alto para produzir. E vimos hoje aqui, que essa realidade dificilmente será mudada. Por isso pedimos, junto com todos os outros produtores, que pelo menos tenhamos a garantia de um valor estável pago pelo litro de leite durante o ano todo. Isso é o mínimo para conseguirmos ter condições de viabilizar a produção e viver”, explicou ela.


O mesmo disse Amanda Bertoletti Casol, moradora de Linha São Lucas, também no interior de Pinhal – RS.


“Se nós conseguíssemos ganhar R$1,00 por litro, teríamos como não só pagar as contar, mas investir também para melhorar a produção”, afirmou ela.



Evento positivo:


Na avaliação do Secretário-executivo do Sindilat – RS, Darlan Palharini, o evento realizado em Frederico Westphalen foi muito positivo.


Não tínhamos a menor dúvida de que o Fórum Itinerante aqui em Frederico Westphalen seria um sucesso. Encerrando o evento, a gente nota as considerações feitas pelo pessoal positivamente. A mensagem que nós gostaríamos de trazer hoje era justamente sobre a questão da competitividade. Trazer esse viés um pouco diferente do que está se falando hoje de um cenário negativo de resultados. Nós sabemos que está difícil, mas queremos saber o que podemos fazer hoje em conjunto com a academia, com a URI, com a Emater, com as indústrias e com os produtores. Por isso temos que ouvir os produtores para saber o que temos que mudar”, concluiu ele.




Milk Break:

Uma das atrações do 5º Fórum Itinerante do Leite foi a farta mesa montada em frente ao Salão de Atos com produtos feitos a partir do leite. O Milk Break disponibilizou aos participantes lanches saborosos e com muitas opções. Pães, cucas, queijo, iogurte e leite foram servidos durante todo o dia.


E a comunidade também será beneficiada com essa ação. É que os alimentos ofertados que sobraram, foram doados pelo Sindilat à três entidades beneficentes de Frederico Westphalen. A entrega foi realizada na manhã desta quarta-feira, dia 22.


 

Fonte*: Emater/RS

Terça, 21 de Novembro de 2017


557 Visualizações
Comentários: (
)

Utilize este espaço com elegância e responsabilidade. Ofensas pessoais e palavras de baixo calão serão excluídas. Denuncie comentários ofensivos ou usuários fakes através do formulário de contato.



Av. Assis Brasil, 709 - Bairro Itapagé
Frederico Westphalen RS
CEP 98400-000

Fone: 55 3744 9200
Reitoria | Erechim | Santiago | Santo Ângelo | Cerro Largo | Sao Luiz Gonzaga
URI Campus de Frederico Westphalen © 2018. | VirtualBit